Fuçar

domingo, 30 de setembro de 2007

Sobre despedidas, novelas e conflitos mundiais.


...tavez se nossos corações não fossem tão covardes, saberiamos a hora certa de dizer adeus.


Adeus!


Palavra fria. Melhor do que dizer : - Aodiabo!


Quer dizer, melhor em termos, dizem que o diabo é o pai do rock, e o rock não morre nunca. Isso quer dizer que o rock nunca vai dizer "adeus" e sim "aodiabo". Confuso! Mas se o Diabo é o pai do rock, ele deve ser um cara legal. Aposto que não concordou com algumas regras idiotas e excomungaram o coitado. Assuntos divinos, celestiais que não cabem a nossa divindade terrestre.


E deixando deus e o diabo na terra do sol, e tudo o que resta é resto, como diz um amigo: - Tudo o que respira conspira!


Se até o papa que é mais chegado de deus, é pop. Logo toda forma de poder é uma forma de morrer por nada, se nada é o que podemos fazer.


Tem dias que a vontade é de mudar o mundo, mudaaar o mundooo!PORRA! Mas tem dias que eu não mudo nem de cuéca, como é que eu vou mudar o mundo?!


Quem me dera ter nascido Che guevara. Forte, revolucionário, convicto. To mais pra Lula, ex-revolucionário, sem convicção nenhuma e começando a beber demais (Deus ajude que eu não perca nenhum dedo) (a não ser que um dedo seja o preço da ignorância) (eu não sei de nada).


Tal qual a presidência a vida é complicada, e as vezes, não nego, é melhor não saber de nada. Mas mesmo tentando esconder de nós mesmos que não sabemos, é aí que mora o perigo, pois o inimigo é interno.


O meu maior inimigo (tirando George "war" Bush) sou eu mesmo. Mas eu prefiro enfrentar o George War do que a mim mesmo, por isso, meus encontros comigo mesmo são tão raros, e acontecem por vezes em cadeira de dentista.


Mas ao invés de tentar resolver meus conflitos internos e depois partir para a escala dos conflitos mundiais, me preocupo primeiro com problemas colossais. Talvez pra esquecer que meu mundo particular é tão imperfeito quanto o mundo real em que vivo. E que dentro de mim existem vários Georges Wars, vários presidentes Lulas e também vários Ches.


Estou no aguardo de descobrir o Neo que há dentro de mim, e então poder desvendar os mistérios da matrix.


Não que isso seja importante é claro. Pois o maior mistérios de todos eu já resolvi...



Eu sempre soube quem matou a Thaís !

5 comentários:

Flá Romani disse...

Seu último comentário...eu sempre soube quem matou a Taís hauhauhauah, eu também sempre soube :)

bom domingo ^^

Caio Lemos disse...

liv tolstoi disse:" queremos mudar o mundo, mas nos esquecemos de mudar a nós mesmos"

é bem masi fácil né...

texto bem escrito ^^

Edu Melo disse...

"...dizem que o diabo é o pai do rock, e o rock não morre nunca."
Isso é verdade xD

"Talvez pra esquecer que meu mundo particular é tão imperfeito quanto o mundo real em que vivo. E que dentro de mim existem vários Georges Wars, vários presidentes Lulas e também vários Ches."

Realmente, não sei de outros, mais em mim a vezes também sinto isso, sinto que não posso me enfrentar, e que sempre existe algo dentro de mim querendo dominar, revulucionar e mudar ...

Gostei Brotha, como vc disse anteriormente, como um amigo nosso diz: "Tudo que respira conspira"

ton disse...

^^
"As vezes penso que o mundo gira em torno do meu umbigo..."
bós... se nem "Deus" muda o mundo rapaz.... quem dirá nós.... alguns fizeram um grande efeito... mas nada de mudanças extraordinarias...
Belo Texto! Parabéns!

Mlle.Lilith disse...

Já tinha um tempinho que não pasava por aqui.
Engraçado que voltei exatamente no tópico em que você posta novamente sobre quando encontra consigo mesmo.^^

Como sempre,escrevendo muito bem.
Se o diabo é mesmo o pai do rock,pelo menos ele fez alguma coisa que prestasse.

;*