Fuçar

sexta-feira, 1 de junho de 2007

Enquanto isso em uma cadeira de dentista...


Acho que passo muito tempo afastado de mim mesmo, e olha que convivo comigo todos os dias.

O mais dificil é conversar, perguntar o que há de errado.

Era tão intimo de mim mesmo, mas parece que fui perdendo essa liberdade. Nem mesmo tenho coragem de me elogiar, e as vezes quando necessário me chamar a atenção.

Hoje me assustei porque foi em uma cadeira de dentista que discuti minha relação comigo mesmo.

Enquanto ela colocava um bexiga com cheiro de chiclets dentro da minha boca, e separava as ferramentas cuidadosamente, eu ia viajando, imaginando qual das dores seria a pior, a das agulhas ou do "motorzinho".


Mas Deus inventou o homem, e o homem inventou a anestesia.


A dor foi dificil, quando ela enfiou a agulha na raiz do dente, mas a agulhada da anestesia foi relativamente relaxante.

A partir dai, pra fugir das raspagenes dentarias e agulhadas que iam e vinham, resolvi bater um papo com a unica pessoa que naquela hora não exigia que eu falasse. Eu mesmo!

Comecei meio sem "lida", meio constrangido, pois à muito não nos falavamos, tinhamos virado estranhos perfeitos.

Nos completavamos, mas nos ignoravamos diariamente. Mas sem rancor de nenhuma das partes, simplesmente aconteceu.

Descobri que a muito tempo eu mesmo queria falar comigo, mas também não tinha coragem, ou empenho para tal.


Descobri que o medo estava acabando comigo, e que por coincidência era o mesmo medo que me consumia.


Descobri comigo mesmo, que eu sou uma pessoa legal, pelo menos eu acho isso.


Descobri que eu tenho muito tempo pra viver e pra ser feliz comigo mesmo.


A certa hora da conversa, percebi comigo, que eu estava triste. Pois tudo indicava que o tratamento estava chegando ao fim, ela retirava as agulhas, que ainda traziam pequenos pedaços de nervos. Se preparava pra tirar a bexiga com cheiro de chicletes.

Percebendo realmente que tudo estava acabando, e que o curativo estava pronto pra ser colocado, pensei comigo mesmo:


Por que eu não falo comigo mais vezes?


Por que só em momentos dificeis procuro saber comigo mesmo o que me aflinge?


Acho que a dor aproxima as pessoas, e não poderia ser diferente comigo. Eu, triste comigo mesmo. Nos gostamos tanto, nos conhecemos tão pouco. A dentista colocou o curativo.



O papo foi bom, mas cá entre nós, acho que só nos veremos daqui a alguns meses na mesa de cirurgia...



...vou fazer uma plástica no cérebro.!

13 comentários:

ton disse...

sim voce é um kra legal
sim, voce tem muito tempo :D
(f)

!André! disse...

hahaha...costela e seu comentários curtos porém engraçados!

Valeu!

Arne Balbinotti disse...

Realmente vc detona nos textos... e o seu eu pessoal agradece, comigo já é bem diferente... eu converso com varios "eus"... olha não é facil, cada um acha que tem razao... mas tudo bem, o importante é que o Banco Real da 10 dias sem juros no cheque especial... Obrigado por me informar do seu novo post.

Mlle.Lilith disse...

Ultimamente nem em cadeira de dentista eu ando me encontrando mais.Parece que eu não me entendo,ou sei lá o quê.
Quero uma coisa mas,o meu EU quer outra.Então,pra não começar as discussões infundadas,ignoro a mim mesma e sigo em frente.

Mas,um dia eu vou me chamar pra uma conversinha bem séria.Ah! Se vou!

:)

Roberta Vieira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Roberta Vieira disse...

Ótimos textos... Parabéns!
Qto ao meu post sobre o "Tarantino", meu namorado já havia falado que ele era apenas o produdor, mas sabe como é, né... Tem o dedo de Tarantino, tudo muda...hehehehe
Mesmo assim, obrigada!

Beijos

Roberta Vieira disse...

Ah... passa lá de novo e veja a mudança no post...rs

Renato Freixeda disse...

nossa cara
gostei mesmo
parabens ae

http://brinquedonovo.blogspot.com

!André! disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
R Lima disse...

Dentista n é minha praia.. fujo deles... e olha q sou da área...r.s.ss




[ http://oavessodavida.blogspot.com/ ]

O AveSSo dA ViDa - um blog onde os relatos são fictícios e, por vezes, bem reais...

Elza disse...

Eu me perco sempre, neste mometo de minha vida não estou mesmo em mim...se soubesse que me axaria em qualqer lugar que fosse, até na cadeira do dentista eu sentaria.
....[]...

sonia disse...

Beleza Kara!
Voce tem toda razão! Uma cadeira de dentista faz a gente fazer uma longa viaje. Uma viaje rumo ao imaginario em busca de uma solução para a fobia que invade as entranhas do nosso âmago.
Um mundo moderno onde impera a tecnologia e ao mesmo tempo tão rudimentar onde as pessoas ainda sentem um verdadeiro pânico numa cadeira de dentista.
Na minha concepção estamos muito atrasados quanto a esse conforto que tanto esperamos.
Beijos lindão.

Alfredo Araújo disse...

Esfolando-se depois de tropeçar em uma pedra,algúem arrancando os nervos do seu dente, caramba, vc só se encontra em momentos críticos não?

Esse texto é um primor de crônica, e me lembrou porque eu fico tão angustiado em dia de dentista.

Flws